Notícias

Como o blockchain contribui para a inovação do mercado financeiro?

blockchain-inovacoes-no-mercado-financeiro

A tecnologia blockchain ficou conhecida há alguns anos, por conta da popularidade e ascensão das criptomoedas. Podemos dizer que essa é uma das revoluções econômicas mais disruptivas dos tempos atuais. Isso porque essa inovação relaciona a economia diretamente com as tecnologias digitais.

Segundo o Distrito Fintech Mining Report, dentre as principais tendências que se propõem a mudar o setor financeiro nos próximos anos, os tokens e criptomoedas vêm ganhando espaço no Brasil e no mundo. Ambas representam o potencial do blockchain de transformar os fluxos de transações de dinheiro, informações e processos.

Embora seja muito associado às criptomoedas, as aplicações do blockchain são diversas. Algumas instituições financeiras, como bancos e órgãos públicos, já estão aos poucos se inteirando dessa novidade e estudando como adotá-la em seus processos, visando ganhar mais segurança e agilidade.

Inovações trazidas pelo blockchain

A principal característica do Blockchain é a descentralização para garantir a segurança de dados e transações. Sua base de dados criptografa todos os registros de forma individual, gerando uma chave de acesso personalizada. Cada informação inserida nessa rede torna-se única e é processada por diversos computadores que geram uma criptografia própria para proteger essa informação.

Dessa forma, o blockchain passa a ser uma maneira segura e econômica de criar e gerenciar um banco de dados distribuídos, pois consegue manter registros de transações digitais de todos os tipos, como um livro-razão de acesso público. Dentre as diversas formas com que o mercado financeiro está utilizando a tecnologia, estão mercados capitais, gestão de ativos e mercados de resseguros.

O uso do blockchain também acarreta na simplificação de movimentações financeiras, principalmente entre intermediários que não conhecem diretamente as outras partes. Por conta da criptografia e do registro compartilhado na rede, o processo passa mais segurança a esse relacionamento ou transação.

Outra vantagem do uso da tecnologia é a redução de custos. Por ser uma rede distribuída, as transações que utilizam blockchain não necessitam de intermediários para aprovação e operação. No caso de remessas internacionais, a redução de custos é expressiva e gera incentivo para que mais transferências sejam realizadas. A RTM oferece como serviço a plataforma Ripple, que utiliza uma rede blockchain, para a realização de transferências de recursos e ordens de pagamentos entre instituições financeiras de diferentes países. Saiba mais.

O futuro do blockchain no mercado financeiro

De acordo com o autor do best seller “The STO Financial Revolution” e sócio da 7CC Blockchain Investments, Alex Nascimento, o mercado de cripto e blockchain tem um excepcional potencial de crescimento em 2021.

Dentre os fatores analisados, estão a adesão de grandes instituições financeiras, como JPMorgan, Citi e Deutsche Bank a artigos digitais criptografados. Essa tendência possibilita que o mercado de capitais consiga oferecer maior transparência, economia de custos e acessibilidade, gerando maiores investimentos e inovações.

A cada dia, novos usos para o blockchain vão surgindo, tanto no setor privado quanto no público, como o financiamento em ações de desenvolvimento sustentável e o equity crowdfunding em startups tokenizadas.

As previsões do Gartner Group são de que até 2025, o mercado de Blockchain atingirá cerca de US$ 176 bilhões. Até lá, ainda é necessário que os players do mercado financeiro testem e lancem novas aplicações para o blockchain e que os órgãos reguladores estabeleçam normas para garantir o uso correto da tecnologia.

Quer saber mais sobre as tendências tecnológicas do setor financeiro? Confira o e-book “4 tendências tecnológicas estratégicas para 2021”

• Tags •