Notícias

Instituições financeiras: por que é oneroso ter vários fornecedores para sua empresa

Por que é oneroso para instituições financeiras ter muitos fornecedores?

A administração de múltiplos contratos de fornecimento demanda tempo, atenção e dedicação dos profissionais responsáveis. Quando as instituições financeiras contratam mais de um fornecedor para atender as demandas do negócio, em geral, a expectativa é ter redução nos custos dos serviços. Na prática, o resultado nem sempre é o esperado. 

Dividir o fornecimento com outras empresas pode ser vantajoso no início, mas alguns fatores mostram que no longo prazo, o custo se torna maior do que a economia. Neste artigo, vamos mostrar porque as instituições financeiras podem ter mais custos ao contratar vários fornecedores. Acompanhe!

Por que as instituições financeiras perdem mais ao ter vários fornecedores?

Para algumas empresas, o valor dos serviços e produtos tem mais importância do que a experiência dos fornecedores. Contudo, há alguns riscos ao priorizar o preço das soluções, ao invés da experiência de mercado. A experiência adquirida ao longo do tempo diz muito sobre como o fornecedor lida com os problemas, com as adversidades e com situações de crise. Obviamente que só é possível saber como a empresa, com menos experiência, agiria, diante de uma situação de crise. 

Muitas instituições financeiras contratam diversos fornecedores para atender suas demandas individuais, em vez de contratar menos fornecedores, mas especialistas em suas áreas. Esse pensamento é visto como uma estratégia de economia, mas que pode se tornar onerosa. Veja a seguir outros pontos que  podem custar caro para as instituições financeiras.

Inconsistência no suporte

O uso de ferramentas de diferentes fornecedores exige a integração entre as soluções para a continuidade das atividades. O processo é simples e a maior parte das soluções de tecnologia permitem integração.

O problema começa quando a empresa identifica falhas em seus processos, mas não consegue localizar a origem. Falhas muito complexas podem ser difíceis de serem identificadas rapidamente e cada fornecedor precisa analisar os processos de suas soluções para entender de onde está vindo o problema. Ou seja, o retorno dos fornecedores pode ser inconsistente.

Se um dos fornecedores for estrangeiro, o problema pode ser ainda maior, pois a barreira do idioma prejudica a comunicação. 

Comunicação descentralizada

Quanto maior o número de fornecedores, mais difícil se torna a capacidade de interação com eles. Qualquer mudança nos processos internos da empresa, que envolvem os fornecedores, acaba se tornando mais uma demanda desgastante. É preciso fazer o contato com todos, enviar a comunicação e se certificar de que todos a receberam.

Caso a comunicação não seja do interesse de todos os fornecedores, a empresa terá que identificar quem precisa receber, fazer o envio separadamente e confirmar se todos receberam e entenderam as informações. 

Até mesmo a localização dos contatos desses fornecedores é uma demanda que acaba gerando um desgaste desnecessário. Na hora de contratar um novo serviço, a empresa terá que contatar todos os fornecedores para ver quem pode atender sua demanda, solicitar e receber os orçamentos. 

Processos mais burocráticos

Cada fornecedor atua de uma forma e por mais que se adaptem às necessidades e modelos de cada contratante, acabam mantendo algumas particularidades. Seja na forma de pagamento, nos processos de atendimento ao cliente, no modelo de suporte, entre outras atividades, a empresa precisa lidar com a burocracia de cada fornecedor. 

No fim, os processos se tornam mais burocráticos, demandam mais tempo do colaborador para lidar com cada um e pode impactar as atividades da empresa. 

Aumento nos custos

A contratação de vários fornecedores para a entrega de soluções de tecnologia é uma estratégia de redução de custos muito utilizada pelas instituições financeiras. A concorrência permite que os fornecedores ofereçam valores diferenciados para entregar o mesmo serviço que o concorrente. Com isso, a empresa contrata aquele que tem o menor custo.

Entretanto, o menor custo pelo serviço não significa que no longo prazo haverá uma economia de fato. Levando em consideração que outros processos podem ser impactados pela oferta de um serviço mais barato, ou ainda, que a empresa terá outras demandas, com a contratação de vários fornecedores, como aumento na burocracia, indisponibilidade de suporte, entre outros fatores, no longo prazo a economia pode não ser a esperada

Antes de contratar diferentes fornecedores, é preciso avaliar quais processos da empresa serão impactados, assim como as atividades dos colaboradores. 

Ao contratar um único fornecedor para a entrega de um pacote de soluções, a empresa consegue ter todos os processos unificados e centralizados em um pequeno grupo de pessoas. O contato com o fornecedor será mais rápido e fácil, a solicitação de suporte terá um direcionamento objetivo e o custo-benefício será melhor. Além disso, na contratação de múltiplos serviços, a empresa pode negociar os custos com a empresa. 

E você? Como faz a escolha de fornecedores da sua empresa? Comente em nossas redes ou envie uma mensagem. Na RTM todo atendimento é realizado por especialistas no setor financeiro, que podem lhe auxiliar a tirar dúvidas e escolher a melhor solução para a sua empresa.

Aproveite para conferir o Guia completo para escolha de data center na área financeira: da escolha do fornecedor à migração.

Leia também: 

• Mais notícias •