Notícias

Cetip lança ICE Link via RTM - 17/03/2014

 

Atenta às melhores práticas globais, a Cetip lançou recentemente uma ferramenta pioneira no Brasil que vai agregar eficiência ao processo operacional de pós-trade do mercado de Renda Fixa.  Trata-se do ICE Link, cujos objetivos são proporcionar mais agilidade, segurança e padronização às atividades que vão do momento em que um negócio é fechado até seu efetivo registro e liquidação.

A novidade é fruto de parceria da Cetip com a IntercontinentalExchange – ICE, uma das maiores bolsas de futuros e derivativos de balcão do mundo e que também é acionista da Cetip. A solução é líder no mercado de balcão norte-americano de CDS e foi adaptada para as necessidades das instituições brasileiras.

O novo sistema vem suprir uma importante demanda de bancos, corretoras e gestoras de recursos. Hoje, os participantes do mercado não dispõem de um desenho padronizado e eficiente para realizar essas etapas operacionais. Assim, cada um utiliza métodos próprios para executar as tarefas. Na prática, isso significa desperdício de tempo e custos, aumento de riscos operacionais e, em última análise, limita negócios.

Os maiores desafios operacionais desse mercado estão principalmente nas operações que envolvem fundos, que são muito representativos na liquidez de hoje. Características como quebras de boletas e envolvimento de diversas instituições no processo (gestor, administrador e custodiante) tornam o processo mais complexo nesse segmento. A chegada do ICE Link foca em evoluir esse cenário.

Disponível via RTM, o ICE Link, que tem  seu funcionamento vinculado ao Cetip | Trader, captura todas as operações do mercado secundário de Renda Fixa fechadas e confirmadas por esta plataforma de negócios. Transações feitas através do Cetip | Voice também são direcionadas à solução.

Carlos Ratto, diretor Comercial e de Produtos da Unidade de Títulos e Valores Mobiliários e de Marketing e Comunicação da CetipDuas das características centrais da nova ferramenta são a padronização do fluxo de informações e a capacidade de conectar os participantes do mercado às instituições responsáveis pelo registro dos negócios. Graças a essas duas competências, a ferramenta conseguirá, entre outras coisas, fazer com que operações cheguem às instituições custodiantes já com batimentos entre parte e contraparte do negócio, sem que exista a necessidade de confirmações posteriores.

Carlos Ratto, diretor Comercial e de Produtos da Unidade de Títulos e Valores Mobiliários e de Marketing e Comunicação da Cetip, avalia que, pelo conhecimento e posicionamento da Cetip dentro do mercado, a empresa conseguirá estimular o mercado a ampliar os patamares de eficiência com que trabalha. “Ao oferecer essa funcionalidade a custos acessíveis e em massa, temos potencial para mudar a cultura atual, hoje baseada em um processo muito pouco eficiente.”

O ICE Link se divide em dois níveis: Middle Office - onde partes confirmam e alocam operações - e Back Office, no qual as operações são integradas aos sistemas legados e aos de registro da Cetip (títulos privados) e Selic (títulos públicos).