Notícias

ANBIMA prepara sistema REUNE - 16/10/2012

As operações de compra e venda de debêntures serão divulgadas ao longo do dia por meio do sistema REUNE (Registro Único de Negócios), que está sendo desenvolvido pela ANBIMA. Nele, o registro das operações se torna obrigatório para comprador e vendedor em até uma hora após a negociação.

Serão disponibilizadas informações de preço (ou taxa) e volume dos negócios com cada título, a princípio, quatro vezes ao dia. No caso do preço/taxa, serão divulgados os preços mínimos, médios e máximos praticados. Já o volume será informado por faixas de negociação: até R$ 1 milhão, de 1 a 5 milhões e acima de 5 milhões.

O envio das informações sobre os negócios com debêntures para o REUNE será obrigatório para os associados aderentes ao Código de Mercado Aberto da Associação.

No mercado brasileiro, as operações já estão sujeitas ao registro obrigatório em entidades como a Cetip e a BM&FBovespa. Mas isso só costuma ocorrer ao fim de cada dia, o que dificulta a formação de preço dos ativos e desestimula a compra e a venda de títulos. A ANBIMA pretende, portanto, ir além com uma iniciativa de autorregulação.

Também está avançando o processo de integração do sistema REUNE ANBIMA com plataformas de negociação e ferramentas de registro utilizadas pelas instituições de mercado. O sistema será integrado com a BM&FBovespa, bem como com a Cetip e a ferramenta TOMS da Bloomberg.

Nova fase - A segunda etapa de testes do sistema REUNE ANBIMA foi concluída em setembro, incluindo as principais mudanças e os aprimoramentos sugeridos pelas corretoras, distribuidoras e tesourarias. O cadastramento das instituições aderentes ao REUNE ANBIMA já foi iniciado, e o sistema será implantado em outubro. Em novembro, as instituições já devem operar de acordo com as regras estabelecidas no novo capítulo do Código, que entrará em vigor no mesmo mês.