Notícias

RTM facilita o trabalho operacional do mercado - 07/01/2013

José Carlos Doherty, superintendente geral da ANBIMA, fala a seguir sobre as vantagens da utilização da RTM para o setor financeiro brasileiro e os planos da Associação para o ano de 2013.

Que vantagens o senhor destaca na utilização da RTM para o mercado financeiro?
A RTM oferece inúmeros benefícios como rapidez e segurança na troca de informações e uma alta taxa de disponibilidade, o que é importante para quem atua no mercado. Contudo, creio que a principal vantagem é facilitar o trabalho operacional dos usuários, que podem encontrar em um único lugar, no caso da extranet financeira, informações de várias instituições dos mercados financeiro e de capitais, como o Sisbacen, o Selic e a Cetip, por exemplo.

A ANBIMA é a principal acionista da RTM. Além de sócio, que visão o senhor traz da RTM como usuário?
Nós utilizamos inúmeros serviços como a rede corporativa, canais de voz, sistema de videoconferência, segurança de rede, contingência, entre outros. Podemos dizer que estamos bem satisfeitos, tanto com os serviços prestados quanto com o atendimento que recebemos. Além disto, é importante saber que podemos contar com a RTM para nos auxiliar na criação de soluções específicas que nos atendam.

A Associação lançou recentemente o Sistema REUNE ANBIMA. Qual o ganho para o mercado?
O REUNE disponibiliza informações mais tempestivas das negociações de debêntures no mercado de balcão, oferecendo mais subsídios para o processo de determinação de preços dos ativos para as instituições realizarem seus negócios. As operações de compra e venda são divulgadas várias vezes ao longo do dia com dados de faixa de preço e de volume; antes do REUNE, os negócios realizados eram informados apenas no fim do dia. Esses dados oferecem informações de referência das negociações que, sem dúvida, contribuem para fomentar e aumentar a transparência do mercado de balcão.

Que balanço o senhor faz das primeiras semanas de funcionamento do novo sistema?
Estamos observando uma participação bastante ativa das instituições, mas sabemos que esse número deve aumentar. No primeiro mês de funcionamento, o REUNE disponibilizou uma média diária de informações de 30 negócios efetuados e de 20 séries negociadas. Vale lembrar que, atualmente, a Supervisão de Mercados está monitorando os registros do sistema para auxiliar e orientar as instituições de maneira educativa neste período inicial.

Que benefícios os usuários da ANBIMA têm em acessar o serviço via RTM?
A grande maioria das instituições que operam no mercado de debêntures já acessava a rtm extranet financeira. Dessa forma, implementar o REUNE neste ambiente foi um facilitador para todos. Os usuários puderam concentrar suas atividades em um único lugar, e a ANBIMA pôde implementar o sistema em um ambiente extremamente seguro e ágil para a troca de informações.

Que planos a ANBIMA tem para 2013?
Este ano a Associação traçou um caminho diferente. Definimos no nosso workshop de Diretoria, que acontece sempre no mês de dezembro, seis prioridades estratégicas, que devem ser atingidas e acompanhadas nos próximos anos. Dividimos em prioridades de mercado, de gestão interna e institucional. Entre elas, estão o desenvolvimento do mercado de títulos privados e de ações no Brasil e o incentivo a educação financeira do investidor. As iniciativas que nos guiarão para atingir essas prioridades serão validadas na primeira reunião de Diretoria de 2013.

Como a RTM pode auxiliar ainda mais o setor financeiro?
Os mercados financeiro e de capitais brasileiros são bastante dinâmicos, mudam constantemente por conta de alterações regulatórias, de adaptações de acordo com as condições do mercado externo, entre outras. Acho que o grande desafio da RTM é se antecipar às necessidades que vão surgindo com o intuito de favorecer a troca de informações e dados entre os participantes dos mercados.