Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email
Como o mercado de investimentos está se adaptando ao crescimento da indústria de fundos
Artigo de Aloísio Mota, gerente de Negócios da RTM, sobre a adaptação do mercado de investimentos ao crescimento da indústria de fundos.

Se fizermos um recorte da última década, a indústria de fundos vem crescendo em um ritmo consideravelmente acelerado, em uma média de 10% ao ano. 

Com isso, a soma do valor alocado em todos os fundos de investimento brasileiros cresceu 244%, alcançando R$ 6,68 trilhões. São mais de 24 mil fundos, comparado a menos de 10 mil em 2010, crescimento de 142%. Já em relação a contas, são 29 milhões — aumento de 173% no mesmo período. 

Por consequência, o número de gestores também avançou de forma acelerada. Isso torna a  indústria de fundos um grande motor no mercado brasileiro. Mas também coloca a esse segmento uma pergunta: como se adaptar às novas necessidades impostas pelo crescimento de investidores?

Para responder a essa pergunta, vamos entender a que se deve o crescimento da indústria de fundos. Depois, vamos traçar os efeitos desse crescimento sobre o mercado. Por fim, você verá como a RTM ajuda você a responder a essas necessidades.

Você também pode se interessar: A evolução dos fundos de investimentos ao longo dos anos

A que se deve o crescimento da indústria de fundos? 

O crescimento da indústria de fundos é reflexo de vários fatores. Vamos falar brevemente de três aqui: o econômico, o perfil do investidor e o tecnológico

Na última década, vivemos na economia um momento único. O período, marcado por uma crise, levou o governo, com o objetivo  de aquecer o mercado de consumo, a induzir as taxas de juros a patamares excepcionalmente baixos. Isso estimulou o investimento em outros ativos em busca de um retorno superior a poupança 

Isso se refletiu diretamente no perfil do investidor, que, em vez de consumir, queria alavancar seus investimentos. A necessidade era diversificar a carteira, partindo sobretudo para o mercado de ações, fundos de multimercado e de previdência, FIDC, FIP e offshore, para auferir rendimentos maiores. 

No mercado, isso se refletiu em um movimento dos investidores para a indústria de fundos. A indústria fez o seu papel. Usou da tecnologia para criar plataformas para facilitar o acesso dos investidores pessoa física a investimentos mais sofisticados, sem precisar recorrer a grandes instituições financeiras.

Com isso, ela foi uma fonte de apoio para essa onda de novos investidores. A facilidade de investir e ter um profissional para fazer a gestão dos ativos foi particularmente interessante para o investidor que não acompanha de perto o mercado financeiro. Investir no curto, médio ou longo prazos, tendo um especialista acompanhando de perto esses recursos, significa segurança para esse perfil de investidor.

Os desafios do mercado de fundos

O crescimento acelerado, no entanto, revelou alguns gargalos operacionais que impactam na agilidade e qualidade dos serviços do mercado de fundos.  

O principal deles tem a ver com a falta de uma comunicação padrão na comunicação entre administradores, distribuidores, gestores e custodiantes. Cada um fala uma língua, usando um meio diferente de comunicação. O máximo de padronização que tem é bilateral ou trilateral.

Mas há outros, como: 

  • Fluxo manual de cadastro de gestores em vários distribuidores e administradores;
  • Fluxo manual de portabilidade;
  • Dificuldade de acompanhar operações consolidadas de fundos com administradores distintos, entre outras.

Como o mercado está se adaptando às mudanças na indústria de fundos

A indústria de fundos está se adaptando por meio de algumas ações.

Uma delas é a criação de diversificação. Da mesma forma que os investidores estão procurando mais fundos, do outro lado os administradores e gestores estão criando estruturas de investimento diversificadas. 

Um outro movimento do mercado foi a busca de tecnologias para a gestão desses ativos, sobretudo para facilitar o regime informacional e a operacionalização do segmento. 

É nesse ponto que a RTM se insere, com uma solução que nasce dessa necessidade do mercado. Com pioneirismo, levamos para o mercado de fundos toda a nossa experiência em infraestrutura e comunicações para o setor financeiro, por meio do Hub Fundos.

Nessa solução, as instituições têm um intermediário neutro para ajudá-las a integrar os vários agentes por meio de uma linguagem comum, dando eficiência e padrão para as trocas informacionais. 

Para agilizar o setup na operação das instituições, adotamos uma abordagem API centric. Layouts existentes já usados pela instituição continuam a ser aceitos, eliminando possíveis impactos para integração do sistema. Por fim, criptografia e anonimização garantem a privacidade e segurança de informações sensíveis em conformidade com a legislação vigente. 

Mercado de investimentos: perspectivas para o futuro

A expectativa é que o mercado de fundos continue crescendo

Além disso, a indústria está aguardando mudanças regulatórias. A nova regulamentação de fundos passou por audiência pública pela CVM em 2021. A divulgação da nova norma de fundos deverá sair em breve, o que exigirá toda uma adaptação processual e tecnológica.

Mas de uma coisa nós já sabemos: todo o processo de comunicação entre as partes será muito importante para apoiar as instituições. E a RTM quer ser seu apoiador tecnológico nessa jornada.

Conheça o Hub Fundos.

Deixe seu comentário

Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Newsletter

Cadastre-se e receba todos os nossos conteúdos por e-mail, em primeira-mão.


    Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

    Veja outras notícias relacionadas

    Como a tecnologia está promovendo o avanço do mercado de investimentos?
    Como a tecnologia está promovendo o avanço do mercado de investimentos
    Painel da RTM no Open Summit 2022
    RTM fala sobre adaptação de instituições ao Open Finance em evento
    Gestão de vulnerabilidades e cibersegurança no mercado financeiro: saiba como se proteger.
    Gestão de vulnerabilidades e cibersegurança no mercado financeiro