Notícias

Entrevista: Banco da China (Brasil) S.A fala sobre serviços de voz e data center

Foi na busca por uma infraestrutura segura com conectividade altamente disponível e preços acessíveis que o Banco da China (Brasil) S.A encontrou a RTM. Já são oito anos de parceria de sucesso com a Rede, utilizando serviços como colocation, VM (virtual machine), site de contingência e mesa de operações para dar suporte às atividades e ao crescimento da instituição.

O Conexão RTM conversou com chefe do Departamento de TI do Banco da China (Brasil) S.A, Fernando Chinelato, sobre a utilização dos serviços e os principais marcos desta trajetória, em especial sobre a contratação da mesa de operações rtm trade solution.

No final de 2019, o Banco da China (Brasil) S.A contratou a mesa de operações rtm trade solution. Qual era o cenário antes da contratação? Quais desafios o Banco da China (Brasil) S.A enfrentava?

R: Anteriormente, não tínhamos um volume de transações tão expressivo, mas nos últimos anos isto mudou. Vimos a necessidade de substituir os telefones utilizados pela tesouraria por uma mesa de operações e analisamos algumas possibilidades no mercado.

A RTM nos apresentou o trade solution e começamos os testes com a plataforma aqui dentro para verificar as questões técnicas, especialmente com a nossa central PABX e a comunicação com a rede de vocês. Foi um processo com alguns desafios iniciais, mas conseguimos colocar no ar e a aceitação por parte dos nossos traders foi ótima.

Hoje, trabalhamos com duas mesas que funcionam super bem, sem nenhum problema mesmo com a situação da pandemia e do home office. Também contratamos duas hotlines que foram agregadas à plataforma.

"Conversamos bastante com o time RTM e essa é uma das características que considero mais importante: um bom relacionamento para o entendimento entre as partes."
Fernando Chinelato, chefe do Departamento de TI do Banco da China (Brasil).
Fernando Chinelato
chefe do Departamento de TI do Banco da China (Brasil) S.A

E por que o Banco da China (Brasil) S.A escolheu a solução da RTM?

R: O valor mensal foi um dos pontos cruciais para a nossa tomada de decisão. Em comparação com outras no mercado, a mesa da RTM é bem mais conta e nossos traders nunca tiveram nenhum problema até hoje.

Além da mesa de operações, o Banco utiliza os serviços de site de contingência, colocation e a VM da RTM. Conte um pouco da sua experiência.

R: Desde a contratação dos serviços, foi tudo muito tranquilo. Escolhemos a RTM por dois motivos: os valores e o link SPB que já temos com vocês, então unimos o útil ao agradável. Utilizamos meio hack para os nossos servidores que são VM (virtual machine) e possuímos também um “share” com posições, impressora e desktops. Todos os anos fazemos testes, mas o sistema funciona muito bem.

Na sua opinião, como avalia o atendimento da RTM?

R: Sempre que precisamos, as equipes agarraram com afinco a situação para resolvê-la rapidamente. O time é legal, trocamos bastante ideia, e essa é uma das características que considero mais importante: ter um bom relacionamento para o entendimento entre as partes.

Nunca tivemos nenhum problema, por isso, dou nota 10.

O Banco da China (Brasil) S.A

Atento às oportunidades do mercado da América do Sul e principalmente ao cenário brasileiro, em meados de 1998, o BOC abriu o seu escritório de representação no Brasil e, ao longo de 10 anos, realizou pesquisas de mercado, cultivando vínculos com potenciais clientes. Finalmente, em 13 de março de 2009, o Banco da China (Brasil) S.A. foi fundado e inscrito no Banco Central, passando a atuar como instituição financeira.

• Tags •