Notícias

7º Congresso de Fundos de Investimento discute desafios da indústria - 01/07/2013

 


A grande maioria dos participantes dos painéis e palestras do 7º Congresso ANBIMA de Fundos de Investimento afirmou: a indústria de fundos passa por uma transformação cultural. O evento, realizado nos dias 14 e 15 de maio em São Paulo, discutiu os desafios desse cenário para os gestores, que devem se adaptar às novas necessidades demandadas pelos investidores, e para os próprios investidores, que tendem a diversificar seus portfólios de investimento.

"Não será uma tarefa fácil. Nenhuma transformação como essa é. Como representantes não apenas da indústria de fundos, mas de todos os segmentos do mercado financeiro e de capitais, nós, da ANBIMA, assumimos o compromisso de estimular essa transformação do mercado brasileiro", afirmou a presidente da ANBIMA, Denise Pavarina, no evento.

Segundo a presidente da Associação, o novo cenário econômico de juros mais baixos oferece aos participantes do mercado a oportunidade de redesenhar o mercado de investimentos no Brasil. "A indústria precisa construir novos caminhos, mas precisamos também ajudar o investidor a adotar novos olhares e soluções para sua vida financeira", disse.

No primeiro dia de evento, foram discutidos os novos caminhos para a gestão, como, por exemplo, o alongamento dos prazos dos fundos e a diversificação na oferta de produtos. Segundo a presidente, esse é o momento de evidenciar de forma clara o valor gerado pela gestão. "O papel de nossos gestores nunca esteve tão em evidência", disse. Além disto, ao longo do evento, o público teve a oportunidade de conhecer as particularidades de produtos que estão ganhando espaço no mercado, como os ETFs (Exchange Traded Funds), fundos imobiliários e fundos de private equity.

Os aspectos regulatórios necessários para o aperfeiçoamento da indústria de fundos e as atuais necessidades do investidor nesse novo ambiente pautaram os debates do último dia. De acordo com o vice-presidente da ANBIMA Carlos Massaru, apesar do novo panorama trazer novos riscos para eles, no longo prazo ocorrerá um avanço importante no processo de decisão dos investidores. Para ele, a educação de investidores é um dos principais pilares para o desenvolvimento da indústria. "Temos que fazer a transição do mundo focado em produto para um mundo focado em clientes; de um mundo focado em aplicação para um mundo focado no planejamento financeiro; do foco em informação para o foco em educação". Estes esforços aumentarão o nível de confiança do investidor no mercado, o que garantirá o crescimento sustentável da indústria, declarou Massaru.

Ao todo, o evento reuniu mais de 1.100 pessoas, que participaram dos dois dias de discussão e reflexão sobre o futuro da indústria de fundos brasileira.

A RTM esteve presente ao evento no espaço Café.